Tenha cuidado com o que você pensa...Observe seus pensamentos!

17:13:00
Diariamente nossa mente é bombardeada com diversos pensamentos negativos, e por mais que tentamos impedi-los, eles sempre surgem como uma mosca procurando pousar... Todos nós temos pensamentos e sentimentos negativos, certamente uns mais que outros, o que realmente falta, é  aprender a lidar com esses sentimentos que muitas vezes nos confundem. Pensar negativo em algum momento da vida é normal, todos passamos por isso, porém o quanto estes pensamentos influenciam suas ações e lhe causam sofrimento é que precisam ser observados de forma mais cuidadosa. Se permitirmos que pensamentos contrários nos acompanhem por um tempo prolongado, podemos acabar nos identificando com este novo “estado” e nos sentir incapaz de afastar-se dele.

Conforme especialistas, o nosso cérebro é mais propenso a procurar informações negativas e armazená-lo rapidamente na memória do que as positivas. Pesquisas apontam que cada um de nós tem em média 60.000 pensamentos diariamente. Destes 60.000 pensamentos diários - 95% são pensamentos repetidos do dia anterior, ou seja, somente 5% dos seus pensamentos hoje são novos. E por fim o mais impressionante, 80% ou 45.000 destes pensamentos são negativos. Dá pra acreditar que somos bombardeados por nós mesmos diariamente com em média 45.000 pensamentos negativos?
Penso que nem os piores inimigos podem fazer tanto mal quanto os nossos próprios pensamentos... 
A negatividade trava a vida, e impede que as coisas boas que tanto almejamos sejam atraídas até nós. O segredo é falar e pensar de forma positiva, no que se quer e não no que não queremos. Os pensamentos e sentimentos por vezes podem parecer ter vida própria, mas é pura ilusão. Eles não tem vida própria, eles vivem em nós, manifestam-se em nós, sem que necessariamente tenhamos que seguir ou agir de acordo com eles. 

Existem afirmações negativas que nunca deveriam ser ditas, e a gente acaba dizendo sem pensar. Nossas palavras tem um extraordinário poder. Fazer mau uso delas com afirmações negativas sobre nós mesmos, pode trazer grandes consequências. Por exemplo: "Tudo esta dando errado para mim" - "Estou condenado a ser doente" - "As pessoas não gostam de mim" - "Não sou capaz de fazer esse trabalho" - "Nasci assim, vou morrer assim"  - "Não existe nada pior do que isso que estou passando" - "Não consigo relacionamentos saudáveis". São tantas afirmações negativas que daria dezenas de postagens. As afirmações negativas a nosso respeito, entram no subconsciente como se fossem sementes jogadas na terra. Trocar afirmação negativa por afirmações positivas, significa acreditar em si mesmo. Por exemplo: "Tudo vai dar certo para mim, eu creio" - "Tenho uma saúde perfeita" - "As pessoas gostam muito de mim" - "Eu vou conseguir fazer esse trabalho" etc etc. e assim por diante... Os pensamentos positivos estão relacionados ao que desejamos e amamos e os negativos se ocupam daquilo que não desejamos nem amamos. Pensar positivo gera linguagem positiva e resultados satisfatórios. O seu cérebro precisa saber exatamente o que você quer, portanto diga sempre no positivo. 

Quando estiver se sentindo meio pra baixo, pense em coisas boas, isso contribui para que você se mantenha num estado emocional positivo. Sorrir é a melhor forma de expulsar pensamentos negativos. A endorfina e a serotonina são os hormônios da felicidade e você pode estimular seu cérebro a produzir esses hormônios quando você quiser. É tão fácil e simples produzir serotonina, é só sorrir e mais nada... Se você quiser potencializar, olhe para alguém sorrindo e sorria também. E para liberar a serotonina, dê uma risada bem forte, aquela que vem do diafragma – mesmo se você não estiver com vontade. Toda vez que você pensar numa coisa ruim, você ativa redes neurais e emoções aflitivas relacionadas a ela, e isso te leva para uma situação que você precisa evitar. Cultive bons pensamentos, faça com que as redes neurais dos pensamentos bons fiquem fortalecidas. Pense no que deseja como se já o tivesse alcançado, e agradeça a Deus por isso. 
Seja grato por simplesmente respirar... 

Desejo que tenha sempre pensamentos positivos!
Um abraço e um sorriso!
Até a próxima postagem!






...Todo pensamento positivo te empurram para o sentido certo.

A necessidade da privacidade...

10:53:00
Victoria Novak
O ser tem dois lados: o interior e o exterior. O exterior pode ser público, mas o interior não pode. Se você tornar o interior público, perderá a sua alma, perderá a sua face original. Então você viverá como se não tivesse um ser interior. A vida se torna monótona, fútil. Isso acontece às pessoas que levam uma vida pública — políticos, astros de cinema. Eles se tornam públicos, perdem completamente o ser interior; eles não sabem quem é, a menos que o público fale sobre eles.
Eles dependem da opinião dos outros, não têm o sentimento do próprio ser.
Uma das mais famosas atrizes, Marilyn Monroe, cometeu suicídio, e os psicanalistas têm meditado sobre os motivos para isso.
Ela era uma das mulheres mais lindas que já existiu, uma das mais bem-sucedidas. Até mesmo o presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy estava apaixonado por ela, e milhões de pessoas a amavam. Não se pode pensar no que mais se possa ter. Ela tinha tudo.
Mas ela era pública e sabia disso. Até mesmo na alcova, quando o presidente Kennedy a visitava, ela costumava chamá-lo de "Senhor Presidente" — como se estivesse tendo relações não com um homem, mas com uma instituição.
Ela era uma instituição. Pouco a pouco, ela tomou consciência de que não tinha nada de privado. Uma vez alguém lhe perguntou — ela tinha acabado de posar nua para um calendário e alguém lhe perguntou:
— Mas você não tinha nada enquanto posava para o calendário?
— Bem... — respondeu ela. — Eu tinha... O rádio ligado.
Exposta, nua, nada seu em particular. Eu acho que ela cometeu suicídio porque essa era a única coisa que poderia ter feito em particular. Tudo era público. Essa foi a única coisa que sobrou para fazer por conta própria, sozinha, algo absolutamente íntimo e secreto. 

As personagens públicas são sempre atraídas para o suicídio porque apenas por meio do suicídio elas podem ter um vislumbre de quem são.
Tudo o que é bonito é interior, e o interior significa privacidade. Você observou as mulheres fazendo amor? Elas sempre fecham os olhos. Elas sabem o que fazem. O homem continua fazendo amor com os olhos abertos; ele continua sendo um observador. Ele não está completamente entregue ao ato; não está totalmente nele.
Ele continua sendo um voyeur, como se outra pessoa estivesse fazendo amor e ele estivesse observando; como se o ato do amor estivesse numa tela de TV ou de cinema. Mas a mulher sabe mais porque ela está mais sutilmente sintonizada com o interior. Ela sempre fecha os olhos. Então o amor tem um perfume totalmente diferente.
Faça uma coisa: um dia, ao tomar banho, acenda e apague a luz. No escuro, você ouve melhor a água cair, o som é mais nítido. Quando a luz está acesa, o som não fica tão nítido. O que acontece no escuro? No escuro, tudo o mais desaparece, porque você não pode ver. Só você e o som estão lá.
É por isso que em todos os bons restaurantes evita-se a luz; a luz forte é evitada. Eles usam velas. Sempre que um restaurante está à luz de velas, o gosto é melhor — você come bem e o paladar é mais apurado. O encanto envolve você. Se houver muita iluminação, o paladar desaparece. Os olhos tornam tudo público.

Na primeira frase da sua Metafísica, Aristóteles diz que a visão é o sentido mais elevado do homem. Não é — na verdade, a visão tornou-se muito dominadora. Ela monopolizou todo o seu ser e destruiu todos os outros sentidos.
O mestre dele, o mestre de Aristóteles, Platão, diz que existe uma hierarquia entre os sentidos — a visão está no alto, o toque na base. Ele está completamente errado. Não existe hierarquia. Todos os sentidos estão no mesmo nível e não deve haver nenhuma hierarquia entre eles.
Mas você vive através dos olhos: oitenta por cento da sua vida depende dos olhos. Não deveria ser assim; o equilíbrio precisa ser restabelecido. Você também deve tocar, porque o toque tem algo que os olhos não podem dar.
Mas experimente, experimente tocar a mulher que você ama ou o homem que você ama em plena luz e, depois, tocar no escuro. No escuro o corpo se revela, no claro ele se esconde.
Você já viu as pinturas de corpos femininos de Renoir? Elas têm algo de milagroso. Muitos pintores pintaram o corpo feminino, mas não existe comparação com Renoir. Qual é a diferença? Todos os outros pintores pintaram o corpo feminino como ele aparece aos olhos. Renoir pintou como ele é sentido pelas mãos; assim, a pintura tem calor, proximidade, vivacidade.
Quando você toca, algo de muito íntimo acontece. Quando você vê, tudo fica distante. No escuro, em segredo, na privacidade, algo se revela que não pode ser revelado às claras, na rua. Outros estão vendo e observando: algo profundo dentro de você se encolhe, não pode desabrochar.

É como se você pusesse sementes no chão para todo mundo olhar. Elas nunca irão brotar. Elas precisam ser atiradas no fundo do útero da terra, na escuridão profunda onde ninguém possa vê-las, onde elas começam a brotar e então nasce uma grande árvore.
Assim como as sementes precisam do escuro e da privacidade, todos os relacionamentos que são profundos e íntimos permanecem no seu interior. Eles precisam de privacidade, precisam de um lugar onde apenas dois existam. Então chega um momento em que até mesmo os dois se dissolvem e apenas um existe. Dois amantes profundamente afinados um com o outro se dissolvem. Apenas um existe. Eles respiram juntos, estão juntos, existe um companheirismo. Isso não seria possível se houvesse a presença de observadores. Eles nunca seriam capazes de relaxar se outros estivessem observando. Os próprios olhos se tornariam uma barreira. Assim, tudo o que é belo, tudo o que é profundo, acontece no escuro. Nos relacionamentos humanos, a privacidade é necessária. O segredo tem suas próprias razões para existir. Lembre-se disso, e lembre-se sempre de que você vai se comportar muito tolamente na vida caso se torne totalmente público.
Seria como se alguém virasse os bolsos do avesso. Essa seria a sua forma, como bolsos virados do avesso. Não há nada de errado em ser voltado para fora; mas lembre-se de que isso é apenas parte da vida. Não deve se tornar a totalidade.
Eu não estou querendo dizer para entrar no escuro para sempre. A luz tem sua própria beleza e o seu próprio sentido.

Se a semente permanecer no escuro para todo o sempre e nunca sair para receber o sol da manhã, ela morrerá. Ela precisa entrar no escuro para brotar, para reunir forças, para tornar-se vital, para renascer, e depois tem de sair e encarar o mundo, a luz, a tempestade e as chuvas. Ela tem de aceitar o desafio do exterior. Mas esse desafio só pode ser aceito se você estiver profundamente enraizado interiormente.
Eu não estou dizendo para você se tornar escapista. Não estou dizendo para você fechar os olhos, se retrair e nunca mais sair. Estou dizendo simplesmente para você entrar de modo que possa sair com energia, com amor, com compaixão.
Entrar, de modo que, quando sair, você não seja mais mendigo, mas rei. Entrar, de modo que, quando sair, tenha algo a compartilhar — as flores, as folhas. Entrar de modo que a sua saída seja mais rica e não empobrecida. E sempre se lembre de que, toda vez que se sentir exaurido, a fonte de energia está no seu interior. Feche os olhos e entre.Tenha relacionamentos externos, tenha relacionamentos internos também. É claro que é inevitável ter relacionamentos externos — você anda no mundo, os relacionamentos profissionais estão aí —, mas eles não devem ser tudo. Eles têm um papel a desempenhar, mas deve haver algo absolutamente secreto e privado, algo que você possa chamar de seu. Foi isso que faltou a Marilyn Monroe. Ela era uma mulher pública, bem-sucedida, ainda que um completo fracasso.

Quando estava no auge do sucesso e da fama, ela cometeu suicídio. Por que ela cometeu suicídio continua sendo um enigma. Ela tinha tudo por que viver; não se pode conceber mais fama, mais sucesso, mais carisma, mais beleza, mais saúde do que ela tinha. Estava tudo lá, não era preciso melhorar nada, e ainda assim faltava alguma coisa. O lado de dentro, o interior, estava vazio. Então, o suicídio foi o único caminho. Pode ser que você não chegue ao ponto de cometer suicídio como Marilyn Monroe. Pode ser que você seja muito covarde e cometa suicídio muito lentamente — pode ser que você leve setenta anos para cometê-lo — mas ainda assim é suicídio.
A menos que tenha algo dentro de você, que não dependa de nada de fora, que seja apenas seu — um mundo, um espaço seu, onde possa fechar os olhos e andar, onde possa esquecer que tudo mais existe — você está cometendo suicídio.
A vida nasce dessa fonte interior e se espalha pelo céu afora. Tem de haver um equilíbrio; e estou sempre procurando o equilíbrio. Portanto, não vou dizer que a sua vida deva ser um livro aberto, não. Alguns capítulos abertos, tudo bem. E alguns capítulos completamente fechados, um completo mistério. Se você for apenas um livro aberto, você será uma prostituta, você simplesmente vai ficar esperando nu na rua, com o rádio ligado. Não, essa não.

Se todo o seu livro estiver aberto, você será apenas o dia sem noite, apenas o verão sem inverno. Onde você vai descansar, aonde vai se centrar e onde vai buscar refúgio? Para onde você irá quando estiver cansado deste mundo? Para onde irá para orar e meditar? Não; meio a meio está perfeito. Deixe metade do seu livro aberto — aberto a todos, disponível a todos — e deixe que a outra metade do seu livro seja tão secreta que apenas raros convidados possam ter acesso a ela.
Apenas raramente alguém recebe a permissão para entrar no seu templo. É assim que deve ser. Se a multidão entrar e sair, então o templo não será mais um templo. Poderá ser o salão de espera de um aeroporto, mas não pode ser um templo. Apenas raramente, muito raramente, você permite que alguém entre no seu eu. É isso que é o amor.


Osho, em "Intimidade: Como Confiar em Si Mesmo e nos Outros", um livro repleto de ensinamentos, vale a pena ler e reler. Com esta obra abrangente e cuidadosa, o autor nos leva, passo a passo, a descobrir o que nos assusta na intimidade e como confrontar esses medos, vencê-los e nos preparar, e ao nosso relacionamento, para aceitar mais abertura e confiança. Nem sempre a beleza de fora, é a mesma de dentro. Por fora somos comuns. Por dentro é que está a diferença de cada um...

Até a próxima postagem!
Um abraço e um sorriso!





Idas e Vindas!

14:04:00
Tudo fica do lado de lá, na despedida.
A noite termina e a lua se apaga; é dia! E o coração fica todo descompassado quando diz: Estou chegando!
Lá da janela, eu pude avistar gente que vem do lado de lá, e minha porta toda se abre para quem quer sair e outra, para quem quer voltar.
E tem gente que vem de todo lugar querendo trilhar nessa vida, mas não quer ficar; talvez tenha medo.Todos os dias, é partir para outro dia.
Tem as noites quando lua brilha, e tem a grande de cor pálida que diz: Ainda é cedo!
É que vem chegando aquela manhã, naquele ato de voltar, mas pode me dar aquele abraço e antes que o dia chegue, eu quero mesmo é esse apertado espaço do sossego.
Tem lá na estação gente saindo, e quem chega de todo lugar.
Tem pessoas indo, sem querer ir para lá.
Tem gente vindo sem olhar para trás. 
E lá da janela posso avistar aquele aceno de quem vem chegando, para querer, aqui ficar sem receios.
É primavera, e cada folha retorna de sua caída.
E tem as flores que desabrocham naquela dança, de dizer: estamos voltando!
E é todo esse vai e vem, no retorno das folhas de despedidas.
É sempre tempo das idas e vindas, de uma vida sem segredos.

AUTOR: BETONICOU


Convido você a fazer um atalho nesse LINK, e conhecer o blog desse poeta e escritor maravilhoso, que é o amigo BETO. Tenho certeza que irá gostar. 

Um abraço e um sorriso!
Até a próxima postagem!

"Para mim, a capacidade de sorrir é uma das mais belas características do ser humano. É algo que nenhum animal é capaz de fazer. Cães, baleias ou golfinhos, seres muito inteligentes e dotados de notória afinidade com os homens, não conseguem sorrir como nós. Pessoalmente, sempre fico um pouco curioso quando sorrio para alguém e a pessoa permanece séria e impassível. Por outro lado, meu coração se alegra quando me retribuem o sorriso. Mesmo quando se trata de alguém com quem nada tenho a ver, se a pessoa sorri para mim, aquilo me enternece. Por que? A resposta é que um sorriso sincero toca algo de fundamental em nós: o apreço natural pela bondade." (Dalai Lama)

E vamos para mais um mês...

23:13:00
Andei meia que ausente, me silenciei por alguns dias, estava precisando de um tempo para recarregar as energias...Tomar fôlego! Estamos sempre numa constante correria, pensando no que faremos daqui há 1 hora, logo mais, o dia seguinte, a semana que vem... Ufa!!! Quem aguenta? As vezes é preciso buscar no nosso silêncio a sabedoria das soluções. É preciso um tempo para rever as coisas que precisamos mudar, ou simplesmente um tempo para reciclar. Parar um pouquinho e refletir sobre ações, planos, ideias. O silêncio muitas vezes nos dá mais respostas do que muitas vozes e opiniões juntas. A vida tantas vezes nos desgasta, fragiliza e cansa e então tudo o que queremos é um tempo para refletirmos o que estamos fazendo, por qual caminho estamos seguindo e qual é os benefícios de estar onde estamos. Às vezes precisamos parar e analisar as coisas que cercam nossos dias, nossas atitudes, nossas palavras, e nossos futuros passos. Não existe ninguém que é capaz de escutá-lo melhor, entender e acreditar nos nossos sonhos do que nós mesmos.

Conforme vamos acalmando as coisas vão mudando, vão melhorando... Tudo tem um propósito. Todo dia estamos aprendendo... Tudo vem de encontro as nossas necessidades, quando a serenidade instala no nosso ser. Não é o que está fora que é o problema, o problema é o que estamos carregando dentro de nós. Aquele que olha para fora sonha. Mas o que olha para dentro acorda e segue firme em frente, mesmo caindo e levantando, sorrindo e chorando... A vida nem sempre nos dá facilidades quando buscamos algo que desejamos muito e por vezes acabamos por ter medo e permitir que a confiança vá embora. Mais somos seres vitoriosos e vencedores pelo simples fato de estarmos vivos, por ganharmos uma nova oportunidade todos os dias de conquistar algo novo e de procurar ser melhor em todos os sentidos.

Sou grata por todas as vitórias na minha vida, das mais difíceis àquelas mais simples, que conquistamos todos os dias. A cada conquista me sinto mais intensa mais abençoada, e ainda mais protegida. Sempre que for necessário é importante reservar um pouco de seu tempo para você conversar com o seu íntimo, valorizar o quê de melhor você tem: a sua alma. Quando sinto a lassidão entrar na minha vida, percebo que a minha única saída e entrar em contato com a minha alma e meu coração. Assim saberei como agir, o que deixar para trás e quais sentimentos merecem ser semeados em meu interior. A alma é doce, branda e delicada, ela precisa ser ouvida, afinal, ela guarda todos os seus sentimentos, consciência e conselhos bons para te ajudar na caminhada da vida, pena que muitas pessoas a ignoram como se nem ao menos fizesse parte de suas vidas. Enquanto achamos que nada vai acontecer, em silêncio ELA tece momento novo. Dê voz à sua alma e ouça o que ela tem a dizer... Com toda certeza ela dirá!

Sabe aquele cantinho (todos nós temos um) aquele que o faz sentir bem quando está a sós. Vá para lá quando necessário e descanse sua alma, seu coração, e resgate suas forças. O caminho para a glória está na presença do seu silêncio, no seu meditar, em sua sabedoria. Não apresse as coisas! O tempo é um relógio sem ponteiros, só o CRIADOR sabe a hora certa das coisas acontecerem. Por isso Ele me deixa sempre mais agradecida a cada dia, por tantas bençãos que derrama em minha vida... Pois sempre é tempo de restituição em nossas vidas. Nós não merecíamos nada, mas através de Jesus temos tudo! Todos os dias são dias em que devemos dizer "Obrigado Deus, obrigado Jesus!"

As flores estão em festa, pois o inverno está passando... E vamos para mais um mês. Vida que segue! O mês das flores chegando entre nós! Setembro época em que todo mundo fica mais suscetível, com vontade de viver coisas novas depois do frio do inverno...

Um feliz mês de Setembro a você!
Obrigada pelo carinho e amizade!
Abraços, beijos e um punhado de sorrisos!
Até a próxima postagem, que com toda certeza não vai demorar dessa vez...


O dia que me tornei invisível...

12:46:00
Algumas semanas atrás me enviaram um texto que fui às lágrimas enquanto lia. Mês de julho é um mês de muitas lembranças e saudades pra mim, as vezes minha sensibilidade não da conta. Esse texto não é só triste, mas relata sim, uma realidade, verdade esta, que acontece muito por ai... Muitas pessoas esquecem-se dos seus entes queridos depois que eles chegam a uma certa idade. Não são mais notados, vivem como se não existissem... Muitos são deixados pela família em abrigos, esquecidos nos hospitais, mandados para lares, a maioria dos idosos não recebe visitas nem mesmo nas datas mais importantes e especiais, como o Dia do Pai/ da Mãe, aniversários, Natal, Páscoa ou no dia do idoso. Há histórias de vida verdadeiramente tristes! Histórias de quem tanto deu à sociedade e que, agora, se depara com um resto de vida de quase clausura, ou seja, fechados e afastados do mundo. Cada vez aumenta mais o n° de pessoas e familiares que se tornam invisíveis ainda estando vivos. Após suas mortes, honras e glórias, dores e saudades. Mas, e o que fazem em vida para celebrar e agradecer o presente de os terem consigo? A expressão "uma mãe é para mil filhos, mas mil filhos não são para uma mãe" parece exagero, mas quando observamos o abandono afetivo que se instalou dentro de muitas famílias essa triste realidade se torna cada vez mais presente.

A rejeição mais devastadora vem sempre daqueles que mais amamos... 

Na semana passada eu lia uma matéria que dizia que todas as pessoas, em algum momento da vida, já foram rejeitadas um dia: Talvez quando criança pelo pais, ou por coleguinha na escola, na adolescência como no namoro que não deu certo; no grupo de pessoas em que não se sentiu aceito; no trabalho; entre tantos outros. Segundo os especialistas, a pessoa com a dor da rejeição sente-se ansiosa, fica doente, magoada, ofendida ou com raiva de si ou do outro. Ainda que esse processo seja doloroso para todos, alguns conseguem superar esse fato com maior facilidade, outros sentem dificuldade e algumas vezes por não conseguir lidar com isso acabam se fechando para a vida. Isso ocorre muito com os idosos que são rejeitados e abandonados pela sociedade e principalmente pela própria família, ou melhor, dizendo, pelos próprios filhos, as mesmas pessoas que os deveriam protegê-los. A dor causada pela rejeição talvez seja um dos sentimentos mais difíceis de ser superado, creio que não há uma resolução rápida, prática e pontual que possa dar conta dessa sensação. Fase da vida, que muitos se depara com situações delicadas, como as perdas, afastamento de pessoas queridas, doenças, perda do corpo jovem e da independência, entre outros. Isso faz com que a pessoa passe a ter menos condições de realizar atividades ou ações cotidianas com a mesma desenvoltura de antes. Nesse momento, a família, o Estado e a sociedade é que devem amparar com todo o carinho possível. Infelizmente, não é isso que é verificado na prática. Exemplos de desrespeitos aos idosos são inumeráveis. Muitos de nós quem sabe, talvez um dia possa até ficar invisíveis também, não pela família, mais pela sociedade. No fundo todos nós gostaríamos de ficar jovens para sempre, mas infelizmente não é possível. A passagem do tempo tem seus efeitos sobre todos nós, não tem como escapar. Uma viagem sem volta! Aquele que já foi um jovem menino logo logo se tornará um idoso gentil. Assim como aquela linda menina logo logo se tornará uma bela e gentil idosa.

Amadurecimento e aprendizado, são os presentes que a vida dá a todos que têm o privilégio de envelhecer... Que amemos uns aos outros, assim como o MESTRE JESUS nos ensinou. Um dia, todos, sem exceção irão estar nesse mesmo lugar...

Cada dia que passa, um dia a menos de vida e um dia a mais vivido. Algo pra se pensar e refletir!

Estudos apontam Suíça como melhor país do mundo para idosos. Ao todo, o estudo avaliou o bem-estar social e econômico da terceira idade em 96 países. Atrás de 10 nações da América Latina, o Brasil está em 56.º lugar no ranking dos melhores países do mundo para os idosos viverem. 
Conforme pesquisa, o Brasil ainda falta muito para ser um paraíso para a terceira idade. A falta de segurança pública, a má qualidade do transporte urbano são os principais desafios do país para garantir o bem-estar da sua população idosa. As dificuldades de acessibilidade e locomoção no meio urbano, inclusive, podem levar o idoso a desencadear problemas de saúde. Por não se sentir acolhido e não encontrar espaços para exercer sua cidadania, alguns preferem não sair de casa para não ter de enfrentar as inúmeras dificuldades de deslocamento. 

A Índia, apesar de serem considerados um pais de 3º Mundo, está a anos-luz à nossa frente no que diz respeito à maneira como trata os seus idosos. O respeito que os indianos nutrem pelos idosos são o pilar da sua cultura. Os mais velhos são a força condutora de qualquer família e, logo, o amor e respeito que sentem vem de dentro, do mais fundo do ser. Tradicionalmente, os indianos pedem a bênção aos mais velhos tocando nos pés, demonstrando assim o seu respeito pelos caminhos percorridos até então. No Japão eles respeitam muitos os idosos, pois detêm o conhecimento e experiência que não os tens, e são eles os conselheiros e patriarcas de suas respectivas famílias. Daí a denominação de povo sábio. Analisem a evolução do povo japonês, e a nossa.

Abaixo o texto que muito me fez refletir.


Quando me Tornei Invisível...


Já não sei em que data estamos.
Nesta casa não há folhinhas e, em minha memória tudo está revolto. 
As coisas antigas foram desaparecendo.
E eu também fui apagando sem que ninguém se desse conta.
Quando a família cresceu, me trocaram de quarto.
Depois, me passaram a outro menor ainda acompanhada de minhas netas. 
Agora ocupo a edícula, no quintal atrás.
Prometeram-me trocar o vidro quebrado da janela, mas se esqueceram. 
E nas noites, por ali  sopra um ventinho gelado que aumenta minhas dores reumáticas.

Um dia a tarde me dei conta que minha voz desapareceu.
Quando falo, meus filhos e meus netos não me respondem.
Conversam sem olhar para mim, como se eu não estivesse com eles. 
Às vezes, digo algo, acreditando que apreciarão meus conselhos.
Mas não me olham, não me respondem.
Então, me retiro para o meu canto antes de terminar a caneca de café.
O faço para que compreendam que estou enojada, para que venham procurar-me e me peçam perdão…
Mas ninguém vem. No dia seguinte lhes disse:
- Quando eu morrer, então sim vão sentir minha falta e meu neto perguntou:
- Estás viva, vovó? (rindo-se)

Estive três dias chorando em meu quarto, até que numa certa manhã, um dos meninos entrou a jogar umas rodas velhas…
Nem o bom dia me deu.
Foi então quando me convenci de que sou invisível.
Uma vez, os meninos vieram dizer-me que no dia seguinte iríamos todos ao campo. Fiquei muito feliz.
Fazia tanto tempo que não saía!
Fui a primeira a levantar. Quis arrumar as coisas com calma.
Nós, os velhos tardamos muito, assim, me ajeitei a tempo para não atrasá-los.
Em pouco tempo, todos entravam e saíam da casa correndo, jogando bolsas e brinquedos no carro.

Eu já estava pronta e muito alegre.
Parei na porta e fiquei esperando.
Quando se foram, compreendi que eu não estava convidada.
Talvez porque não cabia no carro.
Senti como meu coração se encolhia, o queixo me tremia como alguém que tinha vontade de chorar.
Eu os entendo. São jovens.
Riem, sonham, se abraçam, se beijam.
Antes beijava os meninos, me agradava tê-los nos braços, como se fossem meus. E, até cantava canções de berço que havia esquecido. Mas um dia...

Minha neta acabava de ter um bebê.
Me disse que não era bom que os velhos beijassem aos meninos por questões de saúde. Desde então, não me aproximei mais deles.
Tenho tanto medo de contagiá-los!
Eu os bendigo a todos e os perdoo, porque…
Que culpa eles têm, de que eu tenha me tornado invisível?

Texto Original- “El dia que me volvi invisible”
Autora: Silvia Castillejon Peral
Cidade do México-2002 

Até a próxima postagem!
Grande abraço!

“Adoro Reticências… Aqueles três pontos  intermitentes que insistem em dizer que nada está  fechado, que nada acabou, que algo sempre está  por vir! A vida se faz assim! Nada pronto, nada  definido. Tudo sempre em construção. Tudo ainda  por se dizer… Nascendo… Brotando…  Sublimando… Vivo assim… Numa eterna  reticência… Para que colocar ponto final? O que  seria de nós sem a expectativa de continuação?(Desconheço Autor)

Cartas! Saudades para uns, e passados para outros...

19:31:00
Em minha odisseia pela internet descobri cópias incríveis de cartas que foram escritas a punho por várias personalidades importantes. Inclusive várias delas se transformaram em livros e outras em filmes. Numa era em que a tecnologia tomou conta das nossas vidas seria até estranho e curioso enviar uma carta para alguém. Mais sem dúvida é uma forma bonita de marcar a diferença na vida das pessoas que gostamos. Ao longo da história, a tecnologia vem facilitando a vida de todos nós, tornando tudo mais fácil, rápido e produtivo. Vivemos uma época em que estar fora da tecnologia é estar fora do mundo. Hoje em segundo você envia e recebe e-mail de qualquer parte do mundo. Antes dos e-mails a espera por uma correspondência deveria ser muito angustiante, principalmente para quem moravam quilômetros de distância de familiares, amigos, namorados etc e tal. Muitas vezes a carta nem chegava ao destino, porque se perdia no caminho. Conheci uma senhorinha que trocava correspondência com uma amiga que morava na Itália, e demorava meses para que ela recebesse a resposta de sua carta enviada. Em 2002 ela me visitava em um blog e um fotoblog que eu tinha na UOl, e sempre me dizia nós comentários e e-mails o quanto amava escrever e receber cartas. Se hoje ela estivesse entre nós, vibraria lendo essa postagem quilométrica risos. Que saudades, doce Isabel! Essa é, em especial pra ti.
Para muitas pessoas, cartas é algo que já passou á muito tempo, comparado às mensagens de textos, e-mails e outros aplicativos que temos disponíveis nos dias atuais. Mais penso que nada que a tecnologia invente pode superar ou igualar a carta escrita a mão. Em um e-mail não pulsam sentimentos, emoções, carinhos, cheiros, saudades assim como nas cartas escrita a punho. É muito bom ver que alguém pensou em você e separou um tempo para te escrever. 

Decidi reunir as 13 melhores declarações de amor na minha opinião. Embora existem várias outras que virou livro e filme, e outras de despedidas que não tiveram finais felizes. Pra não ficar muito grande a postagem mais já ficando, joguei em link algumas delas. Caso interesse em ler é só clicar na carta completa.
Em 2015, realizaram uma enquete no Reino Unido para eleger a melhor e a mais bonita carta de amor de todos os tempos. A escolhida pela maioria foi a da lenda musical Johnny Cash para sua amada June Carter, em comemoração ao seu aniversário de 65 anos. Na época, eles estavam casados há 26 anos. June Carter faleceu em 2003 e Johnny Cash não resistiu muito mais tempo, tendo ‘partido’ para junto da sua amada poucos meses depois. Confira na íntegra o amor de Cash por June em palavras legítimas e lindas:

Carta de Johnny Cash para sua amada June Carter. 

23 de junho de 1994, Odense (Dinamarca)

Feliz aniversário, princesa.

Nós envelhecemos e nos acostumamos um com o outro. Nós pensamos igual. Nós lemos a mente um do outro. Nós sabemos o que o outro quer sem perguntar. Às vezes irritamos um pouco um ao outro. Talvez às vezes não damos valor um ao outro.
Mas de vez em quanto, como hoje, eu reflito sobre isso e percebo quanta sorte tenho de compartilhar minha vida com a maior mulher que já conheci. Você ainda me fascina e me inspira. Você me faz ser melhor. Você é o objeto do meu desejo, a razão #1 na Terra para a minha existência. 
Eu te amo muito.
Feliz aniversário, princesa! John
Rascunho da carta

De Napoleão Bonaparte para Josefina.
Napoleão conheceu Josefina de Beauharnais, viúva de um visconde e seis anos mais velha que ele. Não demorou muito para subir ao altar com a dama. Enviado para o campo de batalhas, Napoleão declarava em cartas o seu amor pela esposa. O problema é que Josefina não estava na mesma vibe que o cara: além de não retribuir as correspondências, começou a traí-lo. Ao tomar conhecimento da traição, Napoleão decidiu dar o troco: começou a se relacionar com uma mulher que se disfarçava de homem para lutar. Confira a carta que Napoleão escrevia, enquanto Josefina o traía… 

"Já não te amo: ao contrário, detesto-te. És uma desgraçada, verdadeiramente perversa, verdadeiramente tola, uma verdadeira Cinderela. Nunca me escreves; não amas o teu marido; sabes quanto prazer tuas cartas dão a ele e ainda assim não podes sequer escrever-lhe meia dúzia de linhas, rabiscadas apressadamente..." Carta completa



As Cartas de Beethoven para sua Amada Imortal inspirou o filme “Minha Amada Imortal”, de 1995. Em 1880, a carta foi comprada pela Biblioteca Estatal de Berlim, onde permanece até hoje. 
Quem viu os filmes "Minha amada Imortal" e "O Segredo de Beethoven" não vai se esquecer jamais. Duas obras primas, dois encontros com um gênio, um presente de Deus. Beethoven era um gênio, um dom, uma sabedoria, mas também um apaixonado, conforme você vai constatar pelas três cartas que escreveu à sua Amada Imortal. Cartas que são um verdadeiro poema, uma sinfonia feita em prosa, uma luz que ilumina os corações.
"Deus me fez surdo para que eu ouvisse a Sua Voz e a transformasse em música para o mundo". Quando eu ouço Beethoven, ele me inunda com a sensibilidade que tinha e não sei ouvir outro clássico do jeito que ouço ele. É sempre uma sensação sublime. 
Cartas de Beethoven para sua Amada Imortal! 
"Meu anjo, meu tudo, meu próprio ser.
Hoje apenas algumas palavras à caneta (à tua caneta). Só amanhã os meus alugueres estarão definidos – que desperdício de tempo… Por que sinto essa tristeza profunda se é a necessidade quem manda? Pode o teu amor resistir a todo sacrifício embora não exijamos tudo um do outro. Podes tu mudar o fato de que és completamente minha e eu completamente teu? Oh Deus! Olha para as belezas da natureza e conforta o teu coração... " Carta completa


Carta de Karl Marx para sua esposa Jenny von Westphalen.

O intelectual alemão escreveu cartas à mulher que viria a ser sua esposa e mãe de seus filhos, Jenny von Westphalen, filha de um barão da Prússia. Os dois se conheceram ainda na universidade e, para driblar a proibição familiar de namorar, mantiveram durante anos uma relação de amor por meio de cartas. Confira uma delas.


"Meu amor, enquanto nos separa um espaço, estou convencido de que o tempo é para o meu amor como o sol e a chuva são para uma planta: fazem crescer. Basta você ir, meu amor por você apresenta-se a mim como ele realmente é: gigantesco; e nele se concentra toda minha energia espiritual e toda a força dos meus sentidos …" Carta completa


Carta de Lewis Carroll para Gertrude Chataway.

Gertrude Chataway foi a mais importante criança que o escritor Lewis Carroll teve como amiga. O poema A caça ao Snark, inclusive, é dedicado a ela e aberto com um acróstico com seu nome. Biógrafos de Carroll, conhecido por escrever Alice no país das maravilhas, revelam que ele conheceu a garota quando ela tinha apenas 9 anos e que, desde então, os dois mantiveram uma amizade que se estendeu até a vida adulta. Meio estranho? Espere até ler a carta.


"Minha querida Gertrude, você vai ficar admirada, surpresa, desolada ao saber que terrível indisposição eu senti quando você partiu. Mandei chamar um médico e lhe disse: ‘Dê-me um remédio contra o cansaço porque eu estou cansado’. Ele me respondeu: ‘Nunca! Você não precisa de remédio! Se você está cansado, vá para a cama!’ ‘Não’, repliquei, ‘não se trata desse tipo de cansaço que passa quando se deita." A carta completa


Carta de Yoko Ono para John Lennon

Às vésperas do 27º aniversário de morte de Lennon, Yoko Ono escreveu em seu blog uma declaração de amor para o músico. Ora dirigindo-se a John, ora ao leitor, Ono pediu Paz, como fizera anos antes ao lado do cantor, lutando pelos direitos das mulheres, dos trabalhadores e pelo fim da Guerra do Vietnã. Falou das saudades, do vazio ao olhar para a cama vazia, do filho órfão. Falou da dor de amar quem não está ao nosso lado.


"Sinto saudades, John. 27 anos se passaram e ainda desejo poder voltar no tempo até aquele verão de 1980. Lembro-me de tudo – dividindo nosso café da manhã, caminhando juntos no parque em um dia bonito, e ver sua mão pegando a minha – que me garantia que não deveria me preocupar com nada, porque nossa vida era boa". Carta completa


Todas as cartas de amor são ridículas, escreveu Fernando Pessoa. E foi amor o que ele expressou nessa carta para Ofélia Queiroz.

"Meu Bebé, meu Bebezinho querido:
Sem saber quando te entregarei esta carta, estou escrevendo em casa, hoje, domingo, depois de acabar de arrumar as coisas para a mudança de amanhã de manhã. Estou outra vez mal da garganta; está um dia de chuva; estou longe de ti — e é isto tudo o que tenho para me entreter hoje, com a perspectiva da maçada da mudança amanhã, com chuva talvez e comigo doente, para uma casa onde não está absolutamente ninguém..."  Carta completa


Carta de Machado de Assis, para Carolina de Novais. 

"Diz a Madame de Stael que os primeiros amores não são os mais fortes porque nascem simplesmente da necessidade de amar. Assim é comigo; mas, além dessa, há uma razão capital, e é que tu não te pareces nada com as mulheres vulgares que tenho conhecido. Espírito e coração como o teu são prendas raras; alma tão boa e tão elevada, sensibilidade tão melindrosa, razão tão recta não são bens que a natureza espalhasse às mãos cheias (…)" Carta completa 


Carta de Almeida Garrett, para Rosa Barreiras

"Que suprema felicidade foi hoje a minha, querida desta alma! Como tu estavas, linda, terna, amante, encantadora! Nunca te vi assim, nunca me pareceste tão bela! Que deliciosa variedade há em ti, minha Rosa adorada! Possuir-te é gozar de um tesouro infinito, em esgotável." Carta completa 



Carta de Florbela Espanca.
Vim para os teus braços chicoteada pela vida.

"Então tu pensas que há muitos casais como nós por esse mundo? Os nossos mimos, a nossa intimidade, as nossas carícias são só nossas; no nosso amor não há cansaços, não há fastios, meu pequenito adorado." Carta completa


Carta do Fiodor Dostoievski, para Anna Grigórievna Snítkina.
Não Sou Digno de um Anjo Tão Doce como Tu.

"Bom dia, anjo querido, beijo-te muito. Pensei em ti durante todo o caminho. Acabo de chegar. Sinto-me cansado e instalei-me para te escrever. Acabam de trazer-me chá, e água para me lavar, mas no intervalo escrevo-te umas linhas. (…) Na sala de espera da estação andei de lá para cá a pensar em ti e dizia comigo: mas porque deixei eu a minha Anuska?"  Carta completa 


William Shakespeare (Romeu e Julieta)

Carta de Julieta para Romeu.

"Meu inimigo é apenas o teu nome. Continuarias sendo o que és, se acaso Montecchio tu não fosses. Que é Montecchio? Não será mão, nem pé, nem braço ou rosto, nem parte alguma que pertença ao corpo. Sê outro nome. Que há num simples nome? O que chamamos rosa, sob uma outra designação teria igual perfume. Assim Romeu, se não tivesse o nome de Romeu, conservara a tão preciosa perfeição que dele é sem esse título. Romeu, risca teu nome, e, em troca dele, que não é parte alguma de ti mesmo, fica comigo inteira."


De Marilyn Monroe para Joe DiMaggio.

"Eu não sei como te dizer o quanto sinto sua falta. Eu te amo tanto que meu coração poderia explodir. Tudo o que amo, tudo o que quero, tudo o que preciso é você – para sempre. Eu quero apenas estar onde você está e ser o que você quer que eu seja. Eu sei que é horrível de minha parte chegar tarde tantas vezes, e eu prometo que vou tentar milhões de vezes mais, eu prometo.  Com amor, Marilyn."

Se você já enviou ou recebeu ao menos uma carta desse tipo na vida, sabe que deixar o hábito de lado pode ser uma perda terrível para os típicos românticos. Muitos defendem que uma mensagem rápida na internet ou um e-mail não são capazes de expressar o sentimento com a mesma intensidade que uma carta manuscrita. Por causa disso, existem os resistentes que insistem em manter a prática viva e até defendem que ela deva voltar ao costume das pessoas. Escrever uma carta para alguém que se ama é a melhor demonstração de amor e carinho. Se você nunca escreveu uma, pode ter certeza que um dia o fará.

E aí? Convencidos a resgatar aquela caneta no fundo da sua gaveta? 
Nãooo! Talvez o que esteja faltando seja uma dose de inspiração. 
Certa vez Roger Stankewski escreveu: "Sou raro! Gosto de andar de mãos dadas, de abraços demorados, e de escrever cartas de amor." Eu também!!!
Então! Boraaa escrever... Se você gostou da carta, vale a pena assistir o filme Johnny & June, de 2005, sobre o relacionamento do casal. A carta de Johnny Cash para sua amada June Carter, foi eleita a mais bela de sempre, através de uma votação levada a cabo pela seguradora britânica Beagle Street em 2015. 

Um grande abraço!







Até a próxima postagem! 



"Cartas de amor são escritas não para dar notícias, não para contar nada, mas para que mãos separadas se toquem ao tocarem a mesma folha de papel." 

(Rubem Alves)