Viver é se despedir um pouco de nós mesmos

Xie Chuyu
Esse texto me fez refletir sobre muitas fases da vida, me identifiquei, e por isso resolvi compartilhar...
Autoria da Karen Curi, colunista da Revista Bula.

Essa vida é mesmo surpreendente. Em uma única existência somos capazes de viver e sobreviver a diversas fases, sob a sorte e a falta dela que nos unge os dias. De uma forma concisa eu poderia dizer que viver é uma sucessão de erros e acertos, de tropeços e saltos, afogamentos, resgates, onde só desfrutamos e valoramos as subidas depois que despencamos ladeira abaixo. E como toda história tem dois lados, na vida não poderia ser diferente. A gente só percebe a vitória e a derrota quando estamos no topo, ou no poço.

Acredito que nós, seres humanos, somos providos de uma força sobre-humana para aguentar tanta pedrada que a vivência insiste em mandar. É incrível a nossa capacidade de cair e levantar, de reformular por dentro, sangrar e estancar, ressurgir. Somos feitos de partículas de persistência, átomos de dedicação, moléculas de crença, células de esperança. Quanto mais nos entregamos e mergulhamos em nossos motivos, mais reforçamos o nosso propósito de viver. Acontece que, vez ou outra, vem uma paulada pelas costas, um tombo violento e esparramado, uma bala perdida que nos encontra na escuridão. Então morremos. Para, depois, nascermos de novo.

A vida é cheia de ciclos… E para começar um é preciso encerrar o outro. Por isso morremos tantas vezes durante tantos anos. A prova viva da morte está no fim cruciante de um relacionamento amoroso, no vazio assustador do abandono físico, na escassez de alguém ali, que nos ame, ou que ao menos nos suporte. Está na falta de emprego e perspectiva, na despensa vazia, na ordem de despejo, na saúde fragilizada e apavorada, na despedida de uma alma querida. Quando perdemos tudo, o que nos resta é recomeçar do nada. Precisamos morrer para renascer, assim como o mito da Fênix, que antes da sua morte entrava em combustão para depois renascer das próprias cinzas. Somos assim. Aves tão fortes que conseguimos carregar elefantes. Nossas lágrimas não só expelem alívio, como também têm o poder de cura.

A verdade é que os golpes da vida nunca são gentis, muito menos educados ao ponto de anunciar a chegada. Ao lançar-nos no chão parece que um buraco se abre e nos engole, mastiga, degusta e então, cospe. Do que sobra de nós é preciso dar forma e pôr de pé. Morre um para nascer outro, indiscutivelmente mais resistente. Desse jeito, toda vez que recebemos uma pancada desnorteante nos despedimos de um pouco de nós, um fio de esperança se perde, um bocado de confiança vaza, um tanto de boa fé escorre. É possível que nos recuperemos adiante, embora algumas vezes isso não aconteça. Morremos.

Como a Fênix, cessamos em nossa autocremação de dores, de ódio, indignação e sensação de incapacidade, um mistura de venenos que nos corrói e nos traz de volta à terra. É com base na junção de algumas mortes passadas e futuras vidas que eu digo: Deve-se cortar para florescer, é preciso morrer para voltar a viver.

Então, do pó ressurgimos, amedrontados, cambaleando, abrindo os olhos e as asas, sacudindo a poeira. Enchemos o pulmão de ar para arriscar um primeiro voo, ainda contido e baixo, mas consumidos de uma força maior acreditada em nossas capacidades e virtudes. Aos poucos, nos enchemos de esperança e de coragem para alçar novas manobras e riscar outros horizontes.

Não adianta. A nossa força oriunda das quedas. É por isso que as feridas são imprescindíveis para o crescimento, por mais que nos regalem certa rigidez ao casco. É a capacidade de recomeçar dentro de nós mesmos que nos permite viver outra vez. Somente dessa forma recuperamos a nossa vida. 

Quando a alegria decorrer em tristeza, quando a leveza se transformar em pesar, é o momento de desprender-se outra vez. E outra, e outra, e outra. Quantas forem necessárias. Em busca da felicidade vamos, endurecendo-nos, mas sem perder a ternura. Jamais.




"A felicidade sempre será uma busca incansável. Mas a alegria, essa podemos ter todos os dias. Só depende de nós mesmos."
(Renata Stuart)












Obrigada a todos pela visita!
Uma ótima semana!
Um ótimo mês de junho!
Até a próxima postagem!
Logo, logo estarei de volta!


76 comentários:

  1. Oi Smareis! Me identifiquei também com o texto. Estou renascendo desde que meu casamento acabou, há nove meses. Não tem sido fácil, mas tenho esperança de vencer. Beijo! Renata

    ResponderExcluir
  2. Estou por aqui passando amiga,
    sem tropeços e sem afogamentos
    tudo o que nos apoquenta a vida
    não nos deixa viver em paz, são tormentos.

    Que você esteja deles isenta,
    não lhe andem rondar a porta
    tenha um bom inicio de semana
    nunca deixa a felicidade ir embora!

    Desejo para você uma boa noite e bons sonhos, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  3. Magnífica esta reflexão sobre o nosso caminhar pelo tempo.
    É verdade que caímos, mas ganhamos coragem para levantar e seguir em frente.
    A nossa força é tanto que, por vezes, nós próprios nós admiramos pela forma como emergimos das adversidades.
    Adorei.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  4. Querida Smareis
    Como eu me identifiquei com este texto minha amiga
    São tantas pedradas, tantas perdas, tantas decepções que no momento em que as recebemos temos a nítida sensação de que não vamos resistir.
    O elixir do tempo vai cicatrizando as feridas. Renascemos mais endurecidos é bem verdade mas com o coração pleno de ternura. A nossa capacidade de superação é algo deveras admirável minha amiga
    Beijos e uma boa semana pra você

    ResponderExcluir
  5. Olá Smareis,

    Excelente reflexão.
    Assim é a vida. Entre quedas, tropeços, desilusões e dores vamos caindo e levantando. Morremos um pouco ao fechar cada ciclo, é verdade, mas sempre conseguimos forças para seguir adiante, ainda que repletos de cicatrizes. A força que nos move vem de Deus. Temos a capacidade de ser resilientes, enfrentando e superando problemas e adversidades. É assim que nos tornamos fortes, crescendo e evoluindo. Acredito que muitos de nós tem identificação com o foco da crônica, pois ela retrata a realidade da vida do ser humano.

    Feliz semana e um mês de junho de alegria e paz.

    Beijo;

    ResponderExcluir
  6. A day ago, I was thinking about people I have known -- including some close friends -- who had their time on earth expire long before it should have …. some by accident, some by war, some by homicide, some by their own purposeful decision. About those I knew well who chose to end their lives, I was searching to understand their decisions; I could not and do not believe I ever will, even though I ponder their lives and their deaths from time to time.

    Your post today, Smareis, is a nudge back into remembering that life for all of us is to rise and to fall and to rise again. It is not just something we experience our self as the only individual who does, but something each and every one of us continuously experience for as long as we live. In a sense, too, it is not just our responsibility to renew our strength and our will to live life only for our self, but to live it and to struggle onward for others who depend upon us as family members and friends.

    Time does heal wounds and soften harsh memories, and, hopefully, it gives us better understanding of what it means to lead a good and a productive life and to ensure that others around us are able to do so, as well.

    As always, this is a fine post, Smareis.

    ResponderExcluir
  7. Escrevia Fernando Pessoa que o caminho estava cheio de pedras.
    Mas que as guardava todas.
    Para um dia fazer um castelo.
    Boa semana

    ResponderExcluir
  8. Obrigado por estas belas palavras que ajudam a viver! Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Como seres humanos que somos, siempre tendemos a ser felices y de ahí que seamos incansables en insistir y tratar de buscar esa felicidad que, a veces, la vida nos quita en cantidad de ocasiones.
    El perder a personas queridas, nos mantiene hundidos y sin esperanza por un tiempo, más tarde, esa fuerza interior que todos llevamos dentro, nos obliga a seguir adelante, a afrontar de nuevo la vida con esperanza, ilusión y amor.
    Me ha gustado mucho esta entrada.
    Cariños y buena semana.
    kasioles

    ResponderExcluir
  10. Direi apenas: MARAVILHOSO!!!
    Smareis, Paz e Luz!

    ResponderExcluir
  11. Bom dia querida Smareis..
    por vezes lemos coisas que nos fazem parar, e é necessário isso..
    nem sempre as coisas saem como planejamos.. as vezes é preciso tropeçar, ralar os joelhos, se desviar do caminho, experienciar provações e retornar a ele mais forte.. a vida nos dá muitas oportunidades e mesmo as que não são muito boas nos darão amadurecimento.. beijos meus e feliz sempre doce amiga

    ResponderExcluir
  12. los poetas tenemos aquello de morirnos y resucitarnos en cada poema
    abrazos y buena semana

    ResponderExcluir
  13. Bom dia, Smareis!
    É assim que amadurecemos e nos tornamos melhores. Sem essas quedas e frustrações da vida, muitas vezes nos achamos superiores e achamos, também, que não necessitamos de ninguém além de nós mesmos.
    As quedas nos ensinam, nos fortalecem e nos tornam melhores.

    Bom texto!
    Espero que recupere seu joelho totalmente.
    Obrigada pelo carinho na caverna e linda semana.

    Abraços esmagadores.

    ResponderExcluir
  14. As usual,always good written stuff,help us to activate the left side of or brains...
    The only freedom for every one on earth,is freedom to think wat you want.....
    For the moment i think,and i feel like a drone looking for positive things on earth
    XX Willy

    ResponderExcluir
  15. Bela Smareis, li e reflecti! Somos, então, como árvores que se reforçam ao ser podadas. E temos muitas graças a dar por as nossas provas na vida serem, geralmente, suportáveis.
    Beijinhos, uma óptima semana :)

    ResponderExcluir
  16. Tu prosa es bellísima, todo un placer leerte...
    Besitos en el alma y un linda semana
    Scarlet2807

    ResponderExcluir
  17. Smareis, um belo texto, na sequência lógica de todos os outros que nos tem oferecido. Revi-me nas suas considerações, sublinhando uma realidade - quando a vida nos derruba, para que a queda seja esmagadora, faz, frequentemente questão, de agir de surpresa. Então o coice é verdadeiramente demolidor e todos já o vivenciamos. Somos resistentes, somos sobreviventes, é o que é!
    Beijo. Boa semana!

    ResponderExcluir
  18. Boa tarde Smareis,
    Ainda bem que após as quedas e fracassos,
    nos resta a possibilidade do recomeço...
    E assim vamos renascendo, muitas vezes ao longo da vida.
    (Karen Curi, é uma das minhas colunistas preferidas da Revista Bula).
    Ótima semana, bjs!

    ResponderExcluir
  19. Oi Smareis,
    Aprendi a morrer com 15 anos e ao mesmo
    tempo ressuscitar. Seu texto é de grande reflexão
    pois começamos todos os dias, mas morremos um cadinho tambem.
    espero que volte logo. Um excelente mês de junho.
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Boa tarde Smareis

    um texto muito bem escolhido e com o qual me identifico.

    merece reflexão.

    beijo

    :)

    ResponderExcluir
  21. Bonsoir chère amie,

    Vous paroles appellent toujours à la réflexion... J'aime beaucoup vous lire...
    ❀ Gros bisous ❀

    ResponderExcluir
  22. Samareis...Interesante tu post..Tenemos mas presentes los golpes que nos da la vida, antes que las alegrias.
    ¡Suerte que el tiempo todo lo cura!.
    Muy agradecida por tu visita.
    Que tengas feliz semana

    ResponderExcluir
  23. Também me identifico com esta excelente mensagem, o caminho nem sempre é fácil mas o importante é percorrê-lo e seguir em frente.
    A música de fundo é linda!
    Um beijinho com carinho

    ResponderExcluir
  24. E põe despedida nisso, amiga, um tchauzinho por dia.... Bjs

    ResponderExcluir
  25. Olá, vim conhecer seu blog.
    Eu cheguei aqui através do blog de uma amiga.
    Gostei muito de tudo, parabéns!
    Te convido a conhecer e seguir o meu blog de artesanatos se gostar e participar de um sorteio de um kit costurinhas:
    http://thelmasallesartesanatos.blogspot.com.br/2015/03/sorteio-kit-costurinhas.html

    ResponderExcluir
  26. Smareis, gostei de ler, senti de perto do o que dizes e com a força do ´ótimismo, consegui vencer a irmã morte. Se ainda te deixei dito, deixo o Prefácio do meu último livro: "PREFÁCIO
    Conhecer o Daniel foi um milagre.
    Um milagre que Daniel Costa vai celebrando dia-a-dia, através do seu optimismo sempre presente, e que se reflecte na sua profusa e variada escrita.
    Com 3 livros de poemas e 3 em prosa publicados, e com o lançamento programado de novo livro de poemas para Outubro, este autor revela uma força interior gigantesca.
    Quem conhecer o percurso de Daniel nos últimos dez anos compreenderá porquê ele considera ter adquirido o direito a uma segunda vida.
    A primeira oportunidade de vida terminou há mais de dez anos atrás (em 2000), quando foi vítima de um fortíssimo AVC, que teria derrubado qualquer simples mortal; mas Daniel é homem de rija têmpera, e não só lhe sobreviveu após dois meses em coma, como reaprendeu tudo o que a doença lhe fizera esquecer, tendo começado a partir do zero, qual bebé recém-nascido.
    Hoje encontra-se quase totalmente recuperado – o seu intelecto parece até que saiu revigorado – produzindo uma obra atrás de outra, sem descanso ou interregno.
    No presente livro o autor lança-nos no mundo da intriga detectivesca, criando um charmoso detective – Olavo – que alia, ao seu brilhante e sempre bem sucedido trabalho de investigação, sucessivos casos amorosos, sem esquecer nunca a sua adorada esposa, Vera, que o aguarda sempre com um sorriso quando ele regressa das suas aventuras.
    Mas será que Vera estará disposta a perdoar para sempre os casos amorosos em que Olavo se envolve, e de que ela tem sérias desconfianças? Só no decorrer da leitura destas páginas o iremos descobrir.

    Daniel Costa, autor, dá-nos, com este livro, mais uma prova do seu inegável talento e valor intelectual.

    Maria Caiano Azevedo
    Abraço

    ResponderExcluir
  27. Magnífico texto com o qual me identifico, plenamente.
    Cair e levantar é um acto de perseverança e resistência.


    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
  28. Es cierto; la capacidad del Ser Humano de resistencia y adaptación son sorprendentes. Las cicatrices que vamos adquiriendo a lo largo de la Vida nos hacen más fuertes y menos vulnerables.
    Como decía Benjamin Franklin:
    " La felicidad humana generalmente no se logra con grandes golpes de suerte, que pueden ocurrir pocas veces, sino con pequeñas cosas que ocurren todos los días."
    Me encanto este Post lleno de realidad y certeza.
    Abraços e Beijos.

    ResponderExcluir
  29. Oi querida amiga Smareis, além de pensar em nós, devemos sentir nos preocupar com o próximo, bjs e boa semana!!

    ResponderExcluir
  30. Oi Smareis!
    Que lindíssimo...
    E o importante é recomeçarmos sempre com Deus à frente de tudo!
    Uma ótima noite!
    Beijão,
    Mariangela

    ResponderExcluir
  31. Olá Smareis! Ao ler esta bela crônica, lembrei-me de uma baboseira que escrevi e diz o seguinte:

    “A vida é como uma guerra dividida em inúmeras batalhas, onde ganhamos umas, perdemos outras, e assim vamos lutando até a batalha final, quando a perdemos.”

    Belo post! Ótima escolha!

    Beijos,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  32. Assim é a vida... Um caminho íngreme e estreito, Muita vezes tropeçamos, caímos, mas sempre devemos nos levantar e prosseguir, após entender o que a vida quis nos ensinar.
    Beijos,
    Élys

    ResponderExcluir
  33. Belas palavras! Nunca devemos deixar fugir a capacidade para levantar depois da queda.

    Bjo

    ResponderExcluir
  34. O texto é muito bom por mostrar o que realmente acontece com todos nós. Ninguém vive sem cair. E também não morre por isso. Abandonamos um ciclo e começamos outro. Bjs.

    ResponderExcluir
  35. MUCHAS GRACIAS POR COMPARTIRNOS TAN INTERESANTE REFLEXIÓN.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  36. Muito bom, realmente, Smareis! Obrigado por compartilhar, bom resto de semana.

    ResponderExcluir
  37. Vinha para ler coisas lindas, mas nada de novo. Reli o que havia, que é magnifico, e volto depois.
    Até lá um bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  38. Amiga li atentamente este seu texto. Tem muito daquilo que tem
    sido a m/vida.
    Parabéns pelo mesmo.
    Muito bom este post.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  39. Olá querida Smareis!
    Amiga obrigada pelo comentário, eu estou devagar, pois depois da dengue, tive sinusite, senti mt dor, estou me recuperando.

    Seu texto está maravilhoso, temos os tropeços, os espinhos não são eternos, um dia tudo volta ao normal.A esperança nos faz viver com fé.
    Beijokas e um sorriso. Um bom restinho de feriado. Nati

    ResponderExcluir
  40. Oi querida amiga Smareis, vim lhe desejar uma excelente semana, beijos e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  41. A vida é isso mesmo. Uma sucessão de renascimentos.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  42. Hola querida amiga.
    Para mi la vida es como una rosa con sus espinas.Además yo la alimento con las vitaminas de la Fe en Dios, que me enseñaron mis padres y con la Oración que ejerce efectos terapéticos y ayuda en este andar tan lleno de avatares.
    Perdona mi tardanza, ultimanete tengo muy poco tiempo.
    Beijos desde Valencia

    ResponderExcluir
  43. Bom dia domingo, maravilhosa reflexão, muito que possamos desejar e planear, vivemos sempre sujeitos ao inesperado, este espreita e aparece repentinamente sem nos pedir.
    AG

    ResponderExcluir
  44. Uma reflexão sobre a vida muito valiosa. Obrigada.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  45. Cierto: la vida es de etapas. Así se aprende: caídas, levantadas. Y bien lo resumes en la metáfora del ave fénix: resucitamos, para no perecer de nuestros yerros. UN abrazo. Carlos

    ResponderExcluir
  46. E assim vivemos todos nós,morrendo e renascendo sempre,uns mais,outros menos,mas todos passamos pelo processo.Um abraço!

    ResponderExcluir
  47. Eu direi apenas que esse texto e'um raio x da vida ... Demais ! DEixo aqui um super beijo, e desejo uma otima semana Smareis !

    ResponderExcluir
  48. Certamente, a nossa força vem das quedas, mas nem todos podem lidar com este problema é dar conselhos e infortúnio. Saudações.

    ResponderExcluir
  49. Minha querida.
    Estamos realmente sempre renascendo mesmo nas pequenas como nas grandes dificuldades da vida, é como um teste até não podermos mais, assim, nos elevamos quando desencarnamos e lá a vida continua, só que abençoada, sem dor ou sofrimento. Aqui estamos resgatando algo.
    Belas palavras as suas como sempre querida amiga.
    Beijos e ótima semana.

    Cecilia

    ResponderExcluir
  50. Boa semana, amiga; aguardo o próximo post.

    ResponderExcluir
  51. Olá, Smareis,
    Temos que tomar cuidado para não nos tornarmos atiradores de pedras. Muito bom este texto, obrigado por sua visita.
    Um abraço, paz e bem

    ResponderExcluir
  52. Mais uma vez uma reflexão sensacional, Smareis, parabéns!!
    É a vida é um clico, com momentos bons e ruins, com todos aprendemos e evoluímos. Beijos

    ResponderExcluir
  53. É verdade que "A Felicidade será sempre uma busca incansável..." Mas nunca devemos desistir de a procurar !
    Excelente Texto !

    ResponderExcluir
  54. Olá querida.
    Vim agradecer o carinho de suas palavras.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  55. Esse texto foi por mim lido lentamente, com redobrada atenção. Escolhi como nome do meu blog, Começar de Novo e sempre gostei muito da letra desta canção. A vida é um constante começar de novo; a cada segundo é preciso que busquemos no nosso Eu mais profundo as forças necessárias para que o segundo a seguir seja melhor que o anterior. No entanto só será novo o começar se estivermos dispostos e formos capazes também de procurarmos uma nova mentalidade. Temos tudo dentro de nós, não precisamos de nada nem de ninguém; temos um poder fantástico na nossa mente, poder esse que desconhecemos, mas que temos a obrigação de começar a conhecer. Se fores ao Começar de Novo verás um video do Augusto Cury que nos chama a atenção para a falha na educação das nossas crianças. A vida vai dar-lhes vitórias, tropeços, dores, alegrias, amores, encontros e desencontros; é preciso prepará-las para isso, ensinando-as a lidarem com as emoções. Se assim não fizermos, elas serão adultos prodigiosos, génios, altamente informados em todos os aspectos, menos no essencial, no conhecimento do seu eu, da sua essência. Ao menor fracasso desabarão, pois não lhes ensinaram que a vida tem começos e muitos, muitos recomeços. Um beijinho, Smareis e obrigada pelo belo texto que nos leva a profunda reflexão. Viver só não basta, é preciso saber viver com aceitação e coragem. Bom fim de semana
    Emília

    ResponderExcluir
  56. Só posso te dizer uma coisa:
    Sou mal educada...não me despeço de mim nem a pau!!!!!
    Será que tu ainda TE LEMBRAS DE MIM,SUA LINDA????
    Beijão

    ResponderExcluir
  57. Olá, Smareis.
    Eloquente texto, e tanta verdade que até dói na gente, apesar de já a sabermos por vivência. Mas dói sempre mexer na ferida ;)
    Despedimo-nos de nós próprios tantas vezes, minha cara amiga!
    Passamos a vida morrendo e, tal como Fênix, renascendo uma e outra vez, até o dia derradeiro.
    * não conhecia esta música - linda.

    bj amg

    ResponderExcluir
  58. Un maravilloso texto.
    un saludo
    fus

    ResponderExcluir
  59. Tejes toda una mar de fundada esperanza con tus palabras que valoro y agradezco. Y es verdad, aunque a veces lo olvidemos.
    Un abrazo

    ResponderExcluir
  60. São as digitais da nossa vida. A força que nos move vem da nossa experiência.
    Bj

    ResponderExcluir
  61. I like your music .... this and the other ....

    ResponderExcluir
  62. Regressei de viagem e estou agradecendo as visitas amigas.
    Obrigado por estar sempre presente.

    Gostei imenso desta reflexão.
    O ser humano tem, por vezes, forças que nem imagina possuir. São elas que o ajudam a sobreviver em situações extremas, quando o mundo desaba à sua volta, e nada parece ter importância.


    Até ao próximo dia 24
    Um beijo
    MIGUEL / ÉS A MINHA DEUSA

    ResponderExcluir
  63. Sem perder a ternura, jamais, haja o que houver!
    Lindo demais, alegrou-me a sexta-feira, amiga.
    Um fim de semana bem gostoso para ti!!!Bjssss

    ResponderExcluir
  64. Cada dia depende de nós .... Nossa vontade de viver beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  65. E fez bem, partilhar...
    Tenha um bom resto de tarde!
    Bjsss

    ResponderExcluir
  66. Smareis, boa semana pra vc!! Dia 24 tem festa lá no meu bloguinho, te espero ! Beijos e fica com Deus

    ResponderExcluir
  67. Ola minha querida Smareis ! Andamos sumidos da telinha , mas nunca esquecidos ! Deixo aqui beijos e abraços ! Saudade de seus textos !

    ResponderExcluir
  68. que texto profundo... Olá minha querida, saudades, hoje venho aqui para te convidar a participar da 10ª Edição do Pena de Ouro seja de qual forma for, com uma poesia ou votando quando a brincadeira começar, o que importa é sentir teu perfume invadindo o Ostra da Poesia. Este é um convite spam, mas saibas que o desejo de te vê no Ostra é verdadeiro. Beijos no coração. http://ilha-da-lindalva.blogspot.com.br ****** http://ostra-da-poesia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  69. Olá minha amiga.
    Estive em Junho pelas Minas Gerais revisitando minha cidade e meus familiares e amigos.É sempre uma emoção este retorno e o abuso na gastronomia famosa das Gerais. Ver o trem com seus vagões ouvir os estrondos das dinamites arrancando o minério que leva um pouco de nós em cada dia.Bom sempre voltar a Itabira apesar dos pesares.
    Mas aqui um belo texto desta vida que teimamos em crer seja bela e sempre leve. E viver é mesmo se reinventar em cada dia, em cada manhã com uma proposta clara de ser feliz e se por acaso a dor vier não se deixar abater e ser Fênix mesmo.
    Ótima sua partilha e desejo que esteja bem com paz no coração.
    Meu carinhoso abraço amiga.
    Beijo

    ResponderExcluir
  70. I am here, always near, like the sun even when hidden by clouds ....

    ResponderExcluir
  71. Querida amiga

    Um delicioso texto.
    Talvez por trazer palavras
    que poderia ter sido nossas,
    tamanha a sua intensidade
    e carga de verdades.
    Viver é morrer um pouco.
    Não viver é morrer completamente...

    Um imenso abraço.

    ResponderExcluir
  72. Uma excelente reflexão. Gostei muito, obrigado pela partilha.
    Smareis, há muito tempo que gosto do que publica no seu blogue.
    Por isso, estou certo que vou continuar a passar por aqui muitas vezes.
    Saudações poéticas.

    ResponderExcluir
  73. Voltei para ver as novidades e para lhe desejar uma boa semana.
    Um abraço.

    ResponderExcluir

Nunca existiu uma pessoa como você antes, não existe ninguém neste mundo como você agora e nem nunca existirá. Veja só o respeito que a vida tem por você.
Você é uma obra de arte — impossível de repetir,
incomparável, absolutamente única. (Osho)

Links de propagandas e comentários anônimos, serão excluídos automaticamente, a não ser que se identifique com seu nome e endereço do blog/site.

Obrigada pelo seu comentário!
Thanks for the comment!
Gracias por tu comentario!
Merci pour le commentaire!