Estamos com fome de amor

Eu achei interessante esse texto, por isso compartilho com vocês.


Estamos com fome de amor

Uma vez Renato Russo disse com uma sabedoria ímpar: "Digam o que disserem, o mal do século é a solidão". Pretensiosamente digo que assino embaixo sem dúvida alguma. Parem pra notar, os sinais estão batendo em nossa cara todos os dias.
Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e transparentes, danças e poses em closes ginecológicos, chegam sozinhas. E saem sozinhas. Empresários, advogados, engenheiros que estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional e, sozinhos.
 Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes, os novíssimos "personal dance", incrível. E não é só sexo não, se fosse, era resolvido fácil, alguém duvida? Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão "apenas" dormir abraçados, sabe, essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega.Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção. Tornamos-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como voltar a "sentir", só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós.
 Quem duvida do que estou dizendo, dá uma olhada no site de relacionamentos Orkut, o número que comunidades como: "Quero um amor pra vida toda!", "Eu sou pra casar!" até a desesperançada "Nasci pra ser sozinho!".
Unindo milhares, ou melhor, milhões de solitários em meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase etéreos e inacessíveis.
 Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento e estamos a cada dia mais belos e mais sozinhos. Sei que estou parecendo o solteirão infeliz, mas pelo contrário, pra chegar a escrever essas bobagens (mais que verdadeiras) é preciso encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa. Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia é feio, démodé, brega.
 Alô gente! Felicidade, amor, todas essas emoções nos fazem parecer ridículos, abobalhados, e daí? Seja ridículo, não seja frustrado, "pague mico", saia gritando e falando bobagens, você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta.

Mais (estou muito brega!), aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso a dois.

Quem disse que ser adulto é ser ranzinza? Um ditado tibetano diz que se um problema é grande demais, não pense nele e se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele. Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo ou uma advogada de sucesso que adora rir de si mesma por ser estabanada; o que realmente não dá é continuarmos achando que viver é out, que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo ou que eu não posso me aventurar a dizer pra alguém: "vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois ou quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique comigo, tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida".
Antes idiota que infeliz!

Arnaldo Jabor

56 comentários:

  1. Verdade emais doentes também.
    os consultórios terapêuticos cada vez mais lotados.
    Excelente texto!!
    Beijos e bom dia querida!!
    Carla

    ResponderExcluir
  2. Você foi de muita felicidade em ter reproduzido esse texto do Jabor. legal mesmo.
    Estou devolvendo a visita e seguindo também.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Sensível e Extraordinária Amiga:
    "...Estamos com fome de amor..."

    Um texto muito bem conseguido que já sumariei no meu Livro da Vida.
    Intenso. Significativo. Perfeito.
    Bem-Haja, pela amizade.
    É uma talentosa amiga.
    Beijinhos de pura amizade e imenso respeito pela pureza do seu sentir notável e fabuloso.
    Sempre a admirá-la

    pena

    As sociedades contemporâneas são um exemplo vivo de que fala. Salve-se quem puder.
    Bem-Haja, pelo seu encanto constante e gigantesco.
    Adorei.

    ResponderExcluir
  4. Um grande e sincero obrigado :)

    Meu Deus nunca tinha pensado deste jeito. Vou salientar:

    «Tornamos-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como voltar a "sentir", só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós.» - Que verdade...

    Uma feliz semana!

    ResponderExcluir
  5. Um texto que faz bem a todos nós ler e reler...Lindo!

    Uma semana maravilhosa,beijos,chica

    ResponderExcluir
  6. Realmente uma belíssima escolha Smareis!.. Tbém concordo plenamente com as palavras do Renato Russo.

    Beijocas super em seu coração..
    Verinha

    ResponderExcluir
  7. Hola, no entiendo muy bien lo que has escrito pero lo que he entendido me ha encantado. Gracias por visitarme. Un beso.

    ResponderExcluir
  8. Oi querida,
    gosto das crônicas de Arnaldo Jabor, ele diz verdades brincando, numa linguagem acessível pra todo mundo, e sem rebuscar. Aliás, é assim que gosto dos textos em geral.

    Teu cantinho é bem bonito,
    Cris

    ResponderExcluir
  9. E eu me matei de rir com a "cadeira", é cada uma do Blogger, logo ele estará dando cadeiradas em nós!!!!!!! hahaha

    ResponderExcluir
  10. smareis,
    texto lúcido que irradia luz ao mesmo tempo que constrange; afinal, como a própria vida.
    a solidão é a doença que mais mata e, se no passado estava conotada com a velhice, há já homens e mulheres que, bem jovens, se perdem nas malhas frias que só ela sabe urdir.
    ah, de que servem os sorrisos ao nosso lado se não somos capazes de reparar neles?
    beijinho, querida amiga!

    ResponderExcluir
  11. Smareis,que texto interessante. Embora conhecer varios do Arnaldo Jabor, esse ainda não tinha lido. A nossa vida está virando mesmo um solidão a cada dia. A melhor forma de ser feliz e a dois ainda. Semana linda pra vc. Abraço!

    ResponderExcluir
  12. Gostei D E M A I S !!!!! Vamos todos optar pela idiotice e abandonar a infelicidade!!!!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  13. Smareis, sou do temo em que os personais dances não existiam, e se existissem naquele tempo, não teriam chance, pois oferta de companhia era coisa farta... [sorrio]. O Jabor é mesmo sensacional!
    Fiquei muito feliz ao ver que tomou gosto pela leitura de Armelau. Por favor, não deixe de comentar os textos dele que ler. São muito importantes para mim as opiniões, o registro da impressão. Abraço!

    ResponderExcluir
  14. É um ótimo questionamento sobre a vida atual, estabelecer relações interpessoais cada vez fica mais dificil, afinal se relacionar pressupõem disposição e tempo, e andamos tão ego centradados que esquecemos como é bom compartilhar, como é bom baixar a guarda e curtir, como é bom se doar sem reservas ou roteiros. Belo texto! Adorei sua visita, viu? Muito obrigada de coração! Bjs mil. A.

    ResponderExcluir
  15. "você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta."
    Verdade, o tempo para ser feliz é agora,só agora cabe a nós nos desprendermos de tudo que nos trava o riso,porque o momento depois ninguém sabe.
    Smareis,lindo texto!
    Obrigada por compartilhar conosco ;)
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Retribuindo teu carinho lá em meu bróguinho... rss

    Obrigado volte sempre...
    Deussssssssssssskiajude
    Beijo
    Tatto

    ResponderExcluir
  17. Minha querida obrigado pelo carinho lá em meu blog,Parabéns! pela feliz iniciativa de postar esse lindo texto de jabor.

    bjos.

    ResponderExcluir
  18. Oi querida,

    Adoro os textos do Arnaldo Jabor e esse é mais um deles.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  19. Olá Smareis, desejo que tudo permaneça bem contigo!
    Simplesmente verdadeiro, creio que estamos confundindo evolução com desobrigação!
    Vejo que algumas pessoas se sentem desobrigados de viver, somente pelo fato de ter tudo industrializado, até mesmo às amizades são mecanizadas, virtuais ao extremo!
    Quando nasci eram as máquinas que dependiam dos homens para funcionar, hoje é o contrário, o humano dependente da máquina para ele viver sua alienada vida! É triste!
    Penso que em algum lugar do caminho da evolução perdemos nossa humanidade!
    Agradecido pelas gentis visitas, desejo a você e todos ao redor intensa felicidade, grande barco e até mais!

    ResponderExcluir
  20. Por mais triste que possa parecer, é a mais pura verdade.
    Bjux

    ResponderExcluir
  21. Smareis, esse texto é de extrema valia. Com a correria diária o ser humano esqueceu-se de si próprio. A solidão é muito ruim. Antes idiota que infeliz! Adorei o texto. Beijocas.

    ResponderExcluir
  22. Este texto é de uma realidade dolorida,mas é o que se passa,já o tinha lido e as reflexões inseridas neles são prefeitas facas de dois gumes.Meu abraço de toda paz.
    Bju.

    ResponderExcluir
  23. Texto fantástico e construtivo...essa fome de amor é o que nos alimenta a alma...
    Bjs para aquecer teu blog!

    ResponderExcluir
  24. Que texto incrível! O Arnaldo é maravilhoso! Sempre fui desse tipo idiota; sou um grande degustador da vida. A infelicidade fica para os que banalizam a beleza, o corpo e a alma. Bjs!

    ResponderExcluir
  25. Esse texto é o espelho da vida real.Essa é a realidade que estamos vivendo. O planeta esta com fome de amor. Só o amor pode resolver essa situação. Como diz o grande (Charles Chaplin).
    A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos. Adorei smareis! bjs!

    ResponderExcluir
  26. Este texto é muito verdadeiro e fantástico.
    Estamos vivendo uma era do culpo ao corpo, e esquecendo da mente e do coração. Vidas solitárias no meio da multidão.
    Obrigada pela visita e pelo carinho.

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  27. E na próxima geração alguem estará escrevendo as "maravilhas" que vivemos hoje...

    Assim, alucinada, caminha a humanidade.
    Jabor é muito pertinente nas suas colocações.

    Obrigada mais uma vez pela visita.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  28. Hola, un texto bellisimo, gracias por compartirlo. Te dejo un beso, cuidate.

    ResponderExcluir
  29. Adoro os textos do Jabor.Sempre verdadeiro em assuntos que dizem muito de todos... É preciso parar de ser máquinas e voltar a ser humano novamente.

    Bela escolha, querida.Gostei muito de ler, aliás, precisava ler isso.

    Beijinhos e ótimo dia para vc.

    ResponderExcluir
  30. Bom dia!

    Quem se conhece se ama em primeiro lugar, só assim poderá amar e ser amado.
    Acho que a maioria das pessoas fogem de si mesmas.:)

    Beijos

    ResponderExcluir
  31. Belissimo texto minha amiga,,,e realmente Renato tinha razão...o mal do seculo é a solidão....grande beijo de bom dia pra ti.

    ResponderExcluir
  32. Minha querida hoje só estou passando para lhe desejar um dia muito feliz com beijinhos de luz e muita paz nos seus dias.

    ResponderExcluir
  33. Bom dia,Smareis!!

    Infelizmente é bem real o texto!! É uma bela reflexão que todos deveriam fazer...
    Beijos pra ti!!!
    *O mundo precisa do amor...muito mais que do dinheiro...mas os valores estão invertidos...

    ResponderExcluir
  34. Minha cara, texto magnífico do Jabor. Nunca nos sentimos tão sós. parece-me que o medo nos relacionamentos é o que atualmente impera. O receio de perder a liberdade, de não se didicar integralmente ao trabalho, enfim, estamos muito sós.

    Acho que já é momento de repensarmos nesta nossa solidão.

    Bj querida.

    ResponderExcluir
  35. Oláaaa!!

    Nossa maravilhoso seu blog- um prazer estar aqui!

    Alguns poetas e pensadores ficam eternizados por contarem a verdade da alma.

    Um beijo enorme espero por vc no Alma!

    ResponderExcluir
  36. Vim agradecer a sua visita à minha «CASA» e conhecer o seu espaço.
    Agradou-me muito, e sei que voltarei mais vezes.

    Este texto de Arnaldo Jabor é muito interessante. Eu já o conhecia e até o publiquei no meu blog faz tempo.
    Gosto muito das crónicas de Jabor (tenho algumas guardadas). Acho que a brincar, a brincar, ele diz muitas verdades.

    Boa semana. Beijinhos

    ResponderExcluir
  37. Passamos a maior parte da nossa vida nos concentrando em ser homens e mulheres de sucesso e esquecemos do simples, do essencial Ser Feliz ao lado das pessoas Amadas!
    Bjs e Parabens pelo texto, adorei.

    ResponderExcluir
  38. É verdade nos torna-mos uma sociedade de "máquinas" e abandonamos o "sentir".
    Pequenas coisas é que fazem a vida valer a pena e não os grandes holofotes da ostentação que virou a vida humana.
    Até mais....

    ResponderExcluir
  39. É a falsa felicidade vendida nos comerciais,nas vitrines, no padrõess de moda, no celular mais bonito, todo mundo querendo ser mais... e tudo mundo sozinho. Viramos zumbis. Um texto em pertintente. Beijos

    ResponderExcluir
  40. Palavras sábias, verdades que doem.
    De facto caminhamos num materialismo onde se vão perdendo os valores, que eram a essência da vida.
    Este escrito obriga-me a pensar se não estarei, um pouco, nesse caminho mas é sempre tempo de mudar.
    Obrigado por esta bela mensagem.

    ResponderExcluir
  41. Gostei de passar em tua casa, reflexões, alimento para o espírito, delicias que me fazem voltar.
    beijos
    oa.s

    ResponderExcluir
  42. O texto é bom, mas... me apaixonei pela foto! Uma graça.
    Um beijo afetuoso.

    ResponderExcluir
  43. Obrigada pela visita lá no Casa da Alquimia. Já lhe respondi, mas eu amei esse seu blog. e tô ficando por aqui. Arnaldo Jabor nem precisa de comentário, né? Meu abraço!

    ResponderExcluir
  44. E é muito interessante, sim! Obrigado pela divisão, boa semana.

    ResponderExcluir
  45. Espero que você ter uma semana boa medida! Vejo vocês no blog hop na sexta-feira! Abraços!

    ResponderExcluir
  46. Mensagem linda
    É bom passar por aqui...
    Um beijo GRANDE

    ResponderExcluir
  47. Oi querida, boa noite!

    Desculpe não ter vindo antes, mas acabei viajando na segunda para SP, pois estou com a montagem de duas exposições e, mudaram parte dos cenários, daí minha ida repentina...

    Mas olha só!

    Pessoas tem vergonha de dizer te Amo, te gosto, de beijar em qualquer lugar, um simples beijo que seja...
    Hoje fui pegar meu filhote na escola, e aproveitamos o tempinho pra fazer um lanchinho básico... Depois fui tentar ficar milionário, fazer o joguinho da mega sena...kkk. No caixa da Lotérica, a Sra. que me atendia ficou rindo e perguntou? Seu filho ele? Eu disse, lindo não... kkk... E tasquei-lhe um beijo... Eles curtem , todos os três, até o mais velho, já com 22 aninhos, mas beijo, abraço, ando agarrado, sem nenhum constrangimento... Isso até mesmo quando estou namorando alguém, beijo em qualquer lugar, digo que amo, que gosto, curto andar colado, curtir mesmo, quem amo...
    Talvez essa seja a falta das pessoas, expressar mais o que sentem, não ter medo de dizer, Te Amo...
    Talvez seja esse o caminho que tenhamos que fazer, de trás pra frente, como foi o tema lá no Blog da Lu hoje. Recomeçar tudo outras vez.

    Bjs minha querida e, uma ótima noite pra ti, de muita paz e amor em seu coração.

    Marcio RJ

    ResponderExcluir
  48. Olá gostei do texto... e verdadero...temos muita necesidades de amor... todos, por que o materialismo está em todos os lugares...


    o meu portugues nao é muito bom..

    Um beijinho

    ResponderExcluir
  49. A verdade dura do quotidiano em que vivemos e só "nós" podemos MUDAR o percurso. Obrigada. Beijinhos ;)

    ResponderExcluir
  50. Olá, Smareis

    Gostei imenso da sua visita que me conduziu a este espaço de reflexão.
    O texto é excelente e actualíssimo. A solidão é a doença do nosso tempo, e ataca todos, novos e velhos.Nunca se deve deixar para depois aquelas palavras que quase nos sufocam mas, às vezes, por vergonha ou falta de jeito, não as dizemos.Deixamos escapar a oportunidade de sermos felizes, pois a felicidade mora nas pequenas coisas, nos momentos fortuitos, num 'olá', num 'bom dia',num sorriso...E como bem diz o autor, em dar as mãos e andar de cabelos ao vento.

    Beijo

    Olinda

    ResponderExcluir
  51. Não vou tirar a razão do Renato, mas eu diria que o novo mal do século é a depressão. Estudos dizem que 6, em um grupo de 10, irão sofrer desse mal. Quanto aos quatro que ficaram de fora, que não comemorem. Cedo ou tarde, também irão deprimir-se

    Abraços do Gaúcho, um depressivo.

    ResponderExcluir
  52. Olá amiga! Passando para agradecer a visita e o comentário, como também, apreciar este maravilhoso texto profundo e verdadeiro do grande Arnaldo Jabor. Bela escolha. Parabéns!

    Adorei vir aqui, pois é um belo espaço. Com certeza voltarei mais vezes.

    Beijos e muita paz pra ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  53. Sabe, que fico pensado quantas separação podia ser evitada se essas palavras fossem sempre dita na relação a dois."vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois ou quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique comigo, tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida".
    Antes idiota que infeliz! Um texto super inteligente. Adorei smareis. Um Abraço da Sthailem. Esse google hoje tá dificil comentar.

    ResponderExcluir
  54. O ser esta deixando de ser HUMANO, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  55. Ola Smareis

    Thankt for this very nice work,
    i like this very much.

    Beijos, Joop

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd



Nunca existiu uma pessoa como você antes, não existe ninguém neste mundo como você agora e nem nunca existirá. Veja só o respeito que a vida tem por você.
Você é uma obra de arte — impossível de repetir,
incomparável, absolutamente única. (Osho)

Links de propagandas e comentários anônimos, serão excluídos automaticamente, a não ser que se identifique com seu nome e endereço do blog/site.

Obrigada pelo seu comentário!
Thanks for the comment!
Gracias por tu comentario!
Merci pour le commentaire!